quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Caverna do Dragão. (Parte 1)

"Era uma vez, um gato xadrez que cagou na boca do ceis três... ¬_¬"

Era o que pensava Fedir, um garoto de 13 anos que odiava qualquer coisa relacionada a coisas de contos de fadas, mitos, lendas... Um dia seus pais precisavam se mudar pra outro país
e deixaram que o garoto morasse com seu avô, perto da floresta e das montanhas. É claro que não era nada divertido morar com seu avô, pois ele não tinha tv, muito menos um computador, justamente por morar longe da cidade, portanto Fedir acabava passando o tempo andando pela floresta e matando aula sem problema algum já que seu avô mais dormia que cuidava dele.

De tanto andar pela floresta acabou encontrando uma entrada para uma caverna escondida por uma cortina de plantas e algo que lhe chamou a atenção era que dava pra ver uma iluminação ao longe, foi então que decidiu entrar e ver o que tinha lá dentro. Logo se encontrou num enorme espaço com luzes flutuantes, livros, vários tipos de objetos e móveis de aparência luxuosa.

[Fedir] Mas por que tem tanta coisa de aparência antiga numa caverna?

[???] Porque eu moro aqui pivete!

Fedir ouve uma voz grave ecoar pelo local, mas não encontra ninguém.

[Fedir] Quem está ai?

[???] Você não pode ficar aqui pivete, saia agora e esqueça este lugar!

[Fedir] Não mesmo! E PARE DE ME CHAMAR DE PIVETE! ò_ó

O garoto andou em direçao a um grande sofá onde tinha o que parecia um dragão de pelúcia que era bem pequeno, Fedir fez uma cara de desgosto e pensou em socá-lo, mas no momento em que ia socar o dragão falou.

[Dragão] Eu guspo fogo em você se me socar pivete.

Fedir se assusta, tropeça num montinho de livro que estava no chão logo atrás e cai de bunda.

[Fedir] ISSO FALA?! 0.0

[Dragão] É o que parece!

[Fedir] "É oque parece" é desnecessário. ¬_¬

[Dragão] Belo comentário pivete.

[Fedir] NÃO ME CHAME DE PIVETE! ò_ó

Derrepente o garoto começa ver tudo rodar e a perder o foco.

[Dragão] Ei pivete você está...

Foi a última coisa que ouviu antes de Fedir desmaiar.

Continua...